Brasil

Rio de Janeiro vai comprar EPIs para profissionais de saúde

(Foto: Reuters/Umit Bektas)

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro vai comprar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para as unidades que receberão pacientes com o novo coronavírus. A intenção é atender pacientes em estado grave e os profissionais de saúde.

A pasta informou, que até o momento, foram comprados 1,5 milhão de máscaras cirúrgicas, 150 mil máscaras de proteção, 300 mil óculos de proteção e 600 mil aventais. Houve compra ainda de gorros cirúrgicos e luvas de proteção. As entregas pelos fornecedores vão obedecer a ordem de solicitação da SES.

O secretário de Saúde, Edmar Santos, pediu mais uma vez que a população sem os sintomas da Covid-19, não compre e não utilize os equipamentos de maneira inadequada.

“Reforço meu pedido à população assintomática: seja solidária e deixe esse material disponível nas prateleiras para quem realmente precisa, pois o uso indiscriminado desses equipamentos não garante a proteção”, alertou.

O Ministério da Saúde recomendou o uso da máscara de proteção a quem tem sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldades em respirar. Conforme o ministério, o uso da máscara serve para evitar a transmissão no coronavírus para as pessoas ao seu redor e no momento em que for procurar o atendimento médico. Os profissionais e os familiares que prestam atendimento às pessoas com suspeita ou confirmação de coronavírus também devem utilizar o equipamento de proteção individual. A SES indicou que os profissionais da saúde devem usar a máscara ao entrar em uma sala com pacientes ou quando for tratar um indivíduo com sintomas respiratórios.

Vítimas do novo coronavírus

As famílias de vítimas da Covid-19 vão receber assistência psicológica e social da Secretaria de Estado de Vitimados (SEVIT) do Rio de Janeiro. A pasta informou, que, segue o plano de contingência recomendado pela SES e a princípio, o atendimento será realizado de forma remota para evitar a proliferação do vírus. O acompanhamento será realizado por telefone, videoconferência ou chamada de áudio e vídeo. O primeiro contato com as famílias será feito a partir da confirmação dos exames atestando a causa da morte.

“A Secretaria de Vitimados está mobilizada e adotando medidas que possam amparar às famílias e minimizar os traumas sofridos por elas”, informou a SEVIT, em nota.

Fonte: Agência Brasil