Mundo Tech Tecnologia

Aprenda a proteger o smartphone com criptografia

aprendemos como criptografar o PC em um artigo anterior, mas será que podemos fazer o mesmo com smartphones? É um questionamento bastante válido, já que utilizamos mais nossos smartphones do que computadores. Mais do que isso: temos uma boa quantidade de arquivos pessoais, compartilhando fotos, vídeos e mensagens privadas.

Ainda que as aplicações utilizem criptografia de ponta a ponta (caso do WhatsApp), isso não protege nossos arquivos armazenados na memória interna e no cartão microSD. Como protegê-los?

Criptografia de fábrica

Praticamente todos os smartphones atuais trazem criptografia no próprio sistema, independentemente da marca. Não é necessário instalar um app externo, bastando habilitar a criptografia disponibilizada pelo próprio sistema operacional.

O menu de configuração da criptografia está dentro das opções de segurança, ainda que sua lozalização exata varie conforme a marca. No caso do Zenfone Max Pro (M1) que temos em mãos, que vem com o Android (quase) puro, está em “Criptografia e credenciais” dentro de “Segurança e local”:

Basta ativá-la para manter o seu aparelho mais seguro, impedindo o acesso de terceiros aos seus arquivos. Mas a segurança do seu smartphone não para por aí. O mesmo vale para o iPhone, que conta com criptografia de fábrica há várias versões.

Autenticação e perda de desempenho

É importante ter em mente que a proteção do seu dispositivo impede acessos não-autorizados. Ou seja, a sua senha (ou padrão, ou PIN) é o que efetivamente bloqueará o acesso. Isso, claro, aliado com formas mais modernas de autenticação, como o sensor de impressões digitais e o reconhecimento facial. Na prática, o seu dispositivo (smartphone ou PC) é tão seguro quanto a dificuldade de acessá-lo (força da senha, por assim dizer).

Impacta no desempenho e na autonomia de bateria, mas em graus diferentes conforme o segmento do aparelho.

Isto posto, é importante endereçar um questionamento comum dos usuários sobre a perda de desempenho. O smartphone ou tablet fica mais lento quando a criptografia está ativa? Sim, ainda que o impacto varie de modelo para modelo. Essa “queda” de desempenho é mais perceptível em modelos mais básicos, mas é quase imperceptível em modelos topo de linha. O mesmo vale para a autonomia da bateria, que é um pouco prejudicada pelo processo.

Fontes: Pro Android Dev, Source, Microsoft

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste