Ciência & Tecnologia Tecnologia

Aprenda como deixar a internet mais segura para crianças

Ele entra em casa depois da escola, tira a mochila das costas e corre para o computador. Jogos, redes sociais, vídeos, aquele site especializado no filme da moda, ou até mesmo a enciclopédia com aquele assunto difícil de Ciências.

São tantas coisas interessantes para ver, que é cada vez mais comum crianças e jovens passarem tanto tempo na internet. E não estamos falando apenas dos grandinhos. Basta aprender os primeiros cliques que lá estão elas dando os primeiros passos no mundo digital. Crianças também acessam a rede, e se divertem de montão quando o assunto é ficar conectado.

Segundo uma pesquisa da organização americana Pew Internet, 93% dos jovens de 12 a 17 anos acessam a rede regularmente. Mais de 70% dos adolescentes possuem algum tipo de perfil em redes sociais. E a grande maioria dos jovens usa a web para jogar on-line.

Esse é um cenário cada vez mais comum na casa do brasileiro. Por isso, é preciso estar atento ao tempo que os jovens passam na internet e prevenir que eles sejam vítimas de crimes como assédio sexual, compras sem permissão, ou até mesmo ter acesso a conteúdo inapropriado.

Apesar desses perigos, Michele Ybarra, pesquisadora em Saúde Pública da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, acredita que não é preciso proibir crianças e jovens de usarem a internet. “Nossos dados mostram que as taxas de crimes on-line contra essa faixa etária não têm aumentado e a tendência é cair ao longo dos anos”. Para a pesquisadora, isso será possível quando a segurança online começar a fazer parte do cotidiano das pessoas.

Para tornar experiência na web rica e segura, os responsáveis precisam ficar atentos às dicas de proteção.

Área Comum

Deixe o computador em uma área comum. A sala é o lugar mais indicado para as crianças e jovens navegarem na rede. Desse modo, é possível ver o conteúdo que está sendo acessado por eles.

Navegadores e Sites de Pesquisa

Hoje em dia, navegar na internet pode ser mais seguro. Os navegadores mais usados contem com a possibilidade do bloqueio do conteúdo inapropriado. Vá em “Ferramentas”, “Opções da Internet” e selecione a aba “Conteúdo”. Na aba, clique no botão “Habilitar…”. A janela “Supervisor de Conteúdo” deve abrir, ali é possível bloquear os sites desejados. É possível também fazer o download da extensão Website Blocker, para o Chrome, que permite que o usuário bloqueie acesso aos sites selecionados.

Sites de busca como o Bing e Google possuem mecanismos de proteger o conteúdo disponibilizado para os jovens. No Bing, basta clicar em “Configurações” e clicar em “Restrita” na opção para pesquisa segura. Já no Google, use a ferramenta “SafeSearch” para impedir que sites com conteúdo adulto apareçam nos resultados de pesquisa.

Favoritos

As crianças geralmente procuram os mesmos sites on-line. Facilite o acesso ao conteúdo colocando essas páginas no “Favoritos”. Desse modo, é possível evitar que a criança acabe pesquisando por sites não muito seguros na web.

Youtube

Vídeos on-line agradam a toda a família. Sejam aqueles emocionantes, ou os mais engraçados. Para tornar a experiência mais segura para os pequenos, o YouTube oferece a opção “Modo de Segurança” que permite ao usuário restringir o conteúdo adulto disponível no serviço.

Celulares

Dispositivos móveis com acesso a internet também possuem ferramenta de controle dos pais. No caso de aparelhos com o sistema operacional Android, é possível configurar o acesso no “Google Play”. No menu, selecione “Configurações”, clique em “Filtragem de Conteúdo” e escolha os aplicativos que deseja liberar o acesso.

Vídeo Game

Consoles de jogos permitem que os adultos monitorem o que os jovens e crianças tem acesso. A opção de “Controle dos Pais” permite escolher quais jogos podem ser jogados, quanto tempo é possível cada membro da família permanecer conectado e se é possível ter acesso a internet por meio do vídeo game.

Redes Sociais

Converse com os jovens sobre a necessidade de preservar sua identidade na Rede. É cada vez mais comum criminoso coletarem dados sobre pessoas por meio dos perfis em redes sociais. Limite ao máximo o uso da imagem de crianças on-line, tenha controle a rede de amizades, observe as opções de privacidade e restrinja o número das pessoas que tem acesso ao perfil dos pequenos! E nada de colocar informações pessoais como endereço, escola, e hábitos do cotidiano.

Confira o vídeo feito pelo Movimento Família + Segura na Internet sobre a interação de crianças nas redes sociais.

Quer saber mais sobre segurança na internet? A McAfee, maior empresa especialista em tecnologia de segurança do mundo, tem dicas e soluções que ajudam a proteger os consumidores e as empresas de todos os tamanhos contra os malwares e as ameaças on-line mais recentes. Para mais informações, acesse o site http://www.mcafee.com/br


Talvez você também goste