Ciência & Tecnologia Tecnologia

Ex-funcionários contam o lado ruim de trabalhar no Google

Parece que o sonho de consumo de trabalhar em uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, o Google, não é tudo isso que as pessoas imaginam. De acordo com uma postagem realizada no fórum de perguntas e respostas Quora, alguns funcionários e ex-funcionários contaram abertamente os pontos negativos de fazer parte do Google. Confira como foi a lavagem de roupa suja:

LEIA MAIS

+ Como criar uma conta no YouTube
+ Descubra como ligar o computador na TV

Apenas os melhores candidatos

Não importa qual seja a vaga, o candidato precisa ter o melhor currículo do mundo. Segundo um ex-recrutador, a empresa só se interessa por profissionais formados nas melhores universidades do planeta. Essa seleção atrapalha na hora de promover alguém ou de dar um aumento, algo não muito frequente.

Só se fala em trabalho

“Não sei se o Google contrata viciados em trabalho de propósito ou se ele cria o vício em trabalho em nós”, relatou um dos engenheiros da empresa. A postagem feita no fórum Quora ainda revela que a cultura da empresa é obter resultados e números a todo custo. É comum pessoas trabalharem de manhã, tarde, noite ou madrugada; assim como nas férias; chorarem sobre as mesas e até desfazerem casamentos.

Ninguém é amigo de ninguém

“Tem muita arrogância. Todos acreditam que eles (a maioria são homens) são melhores do que seus vizinhos. Ninguém se interessa pela sua opinião a menos que você seja uma pessoa importante”, desabafou um ex-designer que trabalhou lá.

Projetos cancelados sem aviso

Se você é escalado para trabalhar em um projeto e, de repente, ele é cancelado e você fica sem saber o porquê, acostume-se. Isso é o mais comum lá dentro. “Entre para o Google, trabalhe com pessoas incríveis em projetos inovadores, e observe eles serem assassinados”, contou um ex-funcionário anônimo.

Todo mundo igual

“Eles contratam a mesma pessoa toda vez. A mesma história de vida, as mesmas 10 universidades, a mesma visão de mundo, os mesmos interesses. Não é exagero dizer que eu conheci uns 100 triatletas em meus três anos trabalhando lá. Mas apenas alguns deles eram pessoas interessantes”. A partir deste desabafo é possível perceber que o perfil dos funcionários do Google é sempre o mesmo, independente da função.

*Com informações do Olhar Digital


Talvez você também goste