Mundo Tech

AliExpress estuda abrir centro de distribuição no Brasil

AliExpress estuda abrir centro de distribuição no Brasil - 1

O AliExpress pode ter um centro de distribuição no Brasil em breve. A empresa está estudando abrir o espaço por aqui para diminuir o tempo de espera de envio de mercadorias. Isso quem diz é o próprio líder da companhia para a América Latina, Ken Huang, em entrevista ao Estado de São Paulo.

O executivo informou ao veículo que vem duas vezes por mês ao Brasil, hoje considerado um dos cinco maiores mercados para o AliExpress. Atualmente, o tempo de espera para uma mercadoria comprada pelo serviço ser entregue no Brasil é de cerca de um mês, o que a empresa considera longe do ideal.

Para isso, ele conta que a companhia estuda abrir um centro de distribuição no Brasil, com produtos mais perto dos consumidores. A movimentação pode acontecer a médio prazo. “Não há nada confirmado, mas estudamos abrir um centro de distribuição com depósitos alugados, para onde despacharíamos os produtos. Ou fecharíamos parcerias locais. É algo a médio prazo”, disse na entrevista.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

Além disso, Huang também informa que o AliExpress tenta trabalhar com parceiros de entrega para diminuir o preço dos envios e também experimenta lojas físicas na nossa região. “Fazemos entregas dentro da China em até 30 minutos. Uma entrega da China para o Brasil não chega nem no aeroporto em meia hora. E ainda tem alfândega e entrega local no País”, conta Huang.

Atualmente, a gigante chinesa está testando um piloto de loja física em Curitiba, junto com o Ebanx, o mais novo unicórnio brasileiro. Segundo Huang, ainda é cedo para dizer se isso significa expandir o negócio.

“A Ebanx percebeu que muita gente não está nos achando na internet. Vimos alguma tração, mas não há certeza se foi um sucesso. Foi um teste e isso é sempre bom […] Até agora, não há planos concretos para abrir lojas físicas no Brasil. Ainda acho que há grandes oportunidades para otimizar nossa operação online”, finaliza o executivo.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste