Mundo Tech

Anfitrião do Airbnb é preso após câmera oculta ser encontrada no quarto

Anfitrião do Airbnb é preso após câmera oculta ser encontrada no quarto - 1

Um anfitrião do Airbnb foi preso na China após uma de suas hóspedes encontrar uma câmera escondida em um quarto alugado pelo serviço. O dispositivo estava dentro do roteador Wi-Fi, que ficava em frente à cama, e foi ocultado de forma a simular uma das luzes de status do dispositivo. O caso aconteceu na cidade de Qingdao, a cerca de 400 quilômetros da capital Pequim.

A hóspede, identificada apenas como Yonfei, diz trabalhar com segurança da informação e sempre checar os quartos em que se hospeda justamente por histórias desse tipo. Falando à imprensa chinesa, ela afirmou ter estranhado a presença de sensores de movimento na entrada e nos dois quartos do apartamento, mas sem que o restante do local estivesse adaptado para contar com dispositivos de Internet das Coisas. Os dispositivos, então, foram virados para a parede e bloqueados com adesivos, com ela checando completamente o local na sequência.

Nada foi encontrado no televisor e sensores de fumaça, locais usuais para dispositivos ocultos dessa categoria. Entretanto, no roteador, ela notou que uma das luzes estava desalinhada com o restante e nem mesmo acendia. Ao abrir o dispositivo, lá estava uma câmera e um cartão de memória para armazenar as imagens, comprovando que suas suspeitas estavam efetivamente corretas.


Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!

Anfitrião do Airbnb é preso após câmera oculta ser encontrada no quarto - 2
Câmera escondida em apartamento do Airbnb tentava se passar como luz de status do roteador (Imagem: Reprodução/South China Morning Post)

 

Chama a atenção, ainda, o fato de o acusado ser um “superhost” do Airbnb, nomenclatura dada aos anfitriões mais bem avaliados e com experiência na plataforma. Yonfei afirmou, ainda, que não se encontrou pessoalmente com ele, falando apenas por meio do aplicativo para confirmar que havia chegado ao apartamento e pedir a senha da internet. O apartamento em questão custou US$ 250 (aproximadamente R$ 990) por três noites, mas, ao descobrir a câmera, a mulher disse ter chamado a polícia imediatamente e também entrado em contato com o serviço, deixando o local na sequência.

No flat, a polícia apreendeu o roteador modificado e depois acabou prendendo o anfitrião, cuja identidade não foi divulgada. Ele foi sentenciado a 20 dias de prisão em uma investigação que continua em andamento já que, de acordo com as autoridades, o homem estaria espionando seus hóspede desde março deste ano, pelo menos.

Em resposta à imprensa chinesa, a plataforma afirmou ter banido permanentemente o anfitrião e retirado o apartamento de suas listagens. O serviço também pediu desculpas à usuária e afirmou ter devolvido o montante pago pela hospedagem. “O Airbnb leva a muito a sério a privacidade, e não há espaço em nossa comunidade para esse tipo de comportamento. As regras de uso da plataforma são claras ao proibir câmeras em quartos ou banheiros. Caso estejam em outros locais da casa, essa informação deve ser divulgada no anúncio”, disse a companhia em comunicado enviado ao Canaltech.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste