Mundo Tech

Cachorra se comunica com dona usando um teclado de 29 palavras

Cachorra se comunica com dona usando um teclado de 29 palavras - 1

“E se meu cachorro falasse?”. Este é o desejo de muita gente e que uma pesquisadora da área de comunicação está quase conseguindo alcançar. Christina Hunger usou uma técnica de alfabetização em crianças para treinar sua cachorrinha chamada Stella — e o animal de 18 meses já consegue se expressar.

Claro que a cachorra não forma, exatamente, uma frase. Mas ela informa para sua dona alguns sentimentos e vontades. Em uma tábua de madeira com alguns botões, ela treinou Stella para apertar alguns deles quando tiver alguma necessidade.

Em um dos vídeos publicados no Instagram, ela mostra uma ação da cachorra e que aperta os botões “feliz”, “quer”, “bola” e “lá fora”. Bom, não precisa mais que isso para entender a vontade do animal.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Ver esta publicação no Instagram

Last night, right before this video was taken, I accidentally said “ball” on Stella’s device while I was actually reaching for a different word. But, Stella took this very seriously! She picked up her ball, dropped it on her device, and said “Good” (Translation: Good idea, Mom!) • I started recording right after she said “Good” and caught the rest of her thought: “Happy ball want outside!” • Like all AAC users, Stella thrives when we talk to her using her device and say words that she loves. She never needs to know it was on accident! 😉 • • • • • #hunger4words #stellathetalkingdog #slpsofinstagram #speechtherapy #AAC #ashaigers #slp #corewords #SLPeeps #slp2be #aacawarenessmonth #earlyintervention #languagedevelopment #dogsofinstagram #dogmom #doglife #dogs #animalpsychology #doglover #dogvideos #sandiegodog #catahoula #blueheeler #smartdog #dogcommunication #mydogtalks #animalcommunication #interspeciescommunication #loveanimals

Uma publicação partilhada por Christina Hunger, MA, CCC-SLP (@hunger4words) a

Em outra produção, Stella percebe que há algo fora da casa e começa a latir. Quando perguntada pela dona, a cachorra aperta os botões “lá fora” e “ver”.

Ver esta publicação no Instagram

Stella uses language differently when she’s in a heightened state versus when she’s calm! • Today when she heard some noises outside and wanted to go investigate, I told her we were staying inside. • Stella responded by saying, “Look” 9 TIMES IN A ROW, then “Come outside.” She was clearly in a more frantic state, and her language use matched that. We all sound differently than normal when we’re in distress, Stella included! • I’m impressed that Stella is communicating with language during her more heightened states, not just when she’s calm and in a quiet space. This shows me that words are becoming more automatic for her to use. It’s similar to when a toddler starts using language to express himself during times of frustration instead of only crying. That happens when it’s easy for the toddler to say words, not when he’s still learning and it takes a lot of focus to talk 🧠🗣 • • • • • #hunger4words #stellathetalkingdog #slpsofinstagram #speechtherapy #AAC #ashaigers #slp #corewords #SLPeeps #slp2be #earlyintervention #languagedevelopment #dogsofinstagram #dogmom #doglife #dogs #guarddog #animalpsychology #doglover #dogvideos #sandiegodog #catahoula #blueheeler #smartdog #dogcommunication #mydogtalks #animalcommunication #interspeciescommunication #loveanimals

Uma publicação partilhada por Christina Hunger, MA, CCC-SLP (@hunger4words) a

Segundo a pesquisadora, até o momento, o animal consegue montar expressões com 29 palavras no sistema de cores e posicionamentos criado por ela, em sua própria casa. Ela conta com a ajuda do Amazon Links, software usado nas repostas que a cachorra “dá” para se comunicar.

Em entrevista para o site People, Christina informa que o animal consegue formar pensamentos, como dizer que quer que Jake (marido de Christina) volte. Ele aperta os botões “quer”, “Jake” e “chegar” em sequência. Quando o rapaz volta para casa, ela ainda aperta “feliz”.

O sistema é o mesmo que ela usa para ensinar crianças de dois anos a aprenderem as primeiras palavras. Com a Stella, ela vem trabalhando a comunicação desde os 8 meses de vida.

Atualmente, ela vem mostrando os avanços da cachorra em um blog chamado Hunger for Words.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste