Mundo Tech

China quer construir usina solar no espaço para ter energia limpa e ilimitada

China quer construir usina solar no espaço para ter energia limpa e ilimitada - 1

A China pretende construir uma gigantesca usina de energia solar no espaço até 2035, de acordo com a China Academy of Space Technology (CAST). A ideia foi apresentada pelo pesquisador Wang Li durante o 6º Fórum de Engenharia China-Rússia.

A estrutura de 200 toneladas seria “instalada” no espaço para aproveitar os raios do Sol que não chegam à Terra. Um sistema sem fio enviaria a energia captada pela gigantesca usina solar espacial por meio de micro-ondas ou lasers; assim, seria possível enviar energia para regiões remotas e até áreas afetadas por desastres. “Esperamos fortalecer a cooperação internacional e fazer descobertas científicas e tecnológicas para que a humanidade alcance o sonho da energia limpa sem limites em uma data próxima”, disse Wang.

A energia solar obtida por essa usina espacial poderia ser uma solução para a energia fóssil, que tem se tornado cada vez mais escassa, além de causar problemas ambientais, conforme observou o cientista. A captação seria limpa e sustentável, sendo uma fonte de energia também para satélites.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

Parece coisa de ficção científica, mas os chineses buscam realmente tornar tal feito realidade. Foi Isaac Asimov, em um conto de 1941, quem popularizou a ideia de se construir uma usina de energia solar no espaço, e o engenheiro aeroespacial Peter Glaser criou uma proposta formal pouco menos de 30 anos depois.

A China tem um longo histórico de propostas e tentativas de aproveitar melhor a energia solar, limpa e renovável, para resolver os problemas energéticos da humanidade. O país investiu 200 milhões de yuan (cerca de R$ 119 milhões) na construção de um prédio em Bishan, no sudoeste do país, para pesquisar sobre a transmissão de energia sem fio e o impacto no meio ambiente. Wang acredita que essas pesquisas vão estimular a ciência espacial e a inovação de seu país.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste