Mundo Tech

FDA proíbe a venda de cartuchos com sabor para cigarros eletrônicos

FDA proíbe a venda de cartuchos com sabor para cigarros eletrônicos - 1

A FDA (agência federal dos Estados Unidos responsável pela regulamentação de produtos alimentícios, derivados do tabaco, vacinas, remédios e equipamentos médicos, equivalente à nossa Anvisa) determinou o banimento de quase todos os cartuchos de vapes (os cigarros eletrônicos) com sabores de fruta ou de menta.

As novas restrições se focam apenas no tipo de produto que costuma ser usados por crianças e adolescentes, e por isso deixam de fora da proibição os cartuchos de tabaco mentolado (que, assim como os cigarros mentolados, só podem ser vendidos para maiores) e os tipos de refil “tank”, que costumam apenas ser encontrados em tabacarias que só vendem o produto para o público adulto.

Assim, todas as fabricantes, vendedoras e distribuidoras de cartuchos de vape com sabor de fruta terão 30 dias para tirar o produto de circulação, e a FDA já avisou que possui uma força-tarefa preparada para inspecionar todos os locais em que o produto pode ser encontrado, multando aqueles que não estiverem de acordo com as novas regras. Ela ainda avisou que essa força-tarefa dará prioridade a marcas que promovem seus produtos como seguros para crianças e adolescentes, seja na própria embalagem ou em campanhas publicitárias.


Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

FDA proíbe a venda de cartuchos com sabor para cigarros eletrônicos - 2
Tipo de cartucho comercializado pela marca Juul, com sabor de manga (Imagem: divulgação/Juul)

De acordo com Alex Azar, secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, nunca houve uma epidemia de uso de substâncias químicas no país que se espalhou tão rapidamente quanto o consumo de cigarros eletrônicos, e o banimento de todos os cartuchos com sabores de fruta é um tentativa de evitar que esses produtos funcionem como “porta de entrada” para uma nova geração de jovens viciados em cigarros, ao mesmo tempo que não retira dos adultos a possibilidade de usar esses produtos como substitutos do cigarro tradicional.

A decisão levou em conta uma Pesquisa Nacional sobre o Consumo de Tabaco entre Jovens publicada no fim do ano passado, que descobriu que a maioria dos jovens que consumiam produtos tabagísticos o faziam em cigarros eletrônicos à base de cartuchos, e que eram particularmente atraídos por sabores de frutas ou de menta.

Além da preocupação com o vício em tabaco, o uso de cigarros eletrônicos por adolescentes também está diretamente associado a mais de dois mil casos de doenças de pulmão causadas pelo consumo desses produtos, além de 54 mortes causadas pelo uso desses aparelhos. Contudo, estudos revelam que o vilão dessa doença puomonar causada pelos vapes, que ganhou o nome de EVALI, seria o acetato de vitamina E, presente em essências contendo THC (o princípio ativo da maconha).

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste