Mundo Tech

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista “30 under 30”

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista

Como acontece todos os anos, a revista Forbes lançou este mês sua lista “30 under 30”, que indica 30 pessoas com menos de 30 anos que tem feito a diferença em 20 nichos de mercado diferentes dos Estados Unidos e do Canadá. A revista então escolhe 30 nomes de cada um desses nichos (somando um total de 600 nomes com menos de 30 anos) e este ano, na lista reservada ao mercado de games, se destaca a grande quantidade de streamers e jogadores profissionais de e-sports.

Nos anos anteriores, nomes que hoje são reconhecidos até por algumas pessoas que não acompanham a cena de e-sports, como Tyler “Ninja” Blevins, Yiliang “Doublelift” Peng e Jacky “Stewie2k” Yip já fizeram parte da lista da Forbes, que em 2019 dá destaque para algumas das mais novas estrelas em ascensão no mundo dos games, além de alguns nomes conhecidos que voltaram a dominar as manchetes.

Um dos nomes destacados na lista deste ano é o de Kyle “Bugha” Giersdorf, campeão da Copa do Mundo de Fortnite em 2019 na categoria solo. Com apenas 14 anos, Bugha ainda não completou nem o colegial, mas conseguiu se destacar entre 40 milhões de jogadores e se tornar o primeiro campeão solo de Fortnite este ano, levando para casa o prêmio de US$ 3 milhões.


Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista
Kyle “Bugha” Giersdorf levantando a taça de campeão em Fortnite (Imagem: Epic Games)

Outro destaque também é Soleil “Ewok” Wheeler, uma jogadora surda que também participou da Copa do Mundo de Fortnite e que, depois de angariar mais de 250 mil seguidores no Twitch, fechou um contrato de exclusividade no terceiro trimestre deste ano com o Mixer, a plataforma de streaming da Microsoft.

Quem também aparece na lista é Nick “Nick Eh 30” Amyoony, streamer famoso por produzir conteúdo de Fortnite considerado seguro para toda a família (ou seja, sem usar palavrões ou fazer insinuações sexuais nas transmissões). Ele era um dos principais streamers do YouTube, onde possuía 4,7 milhões de inscritos no seu canal, e atualmente possui um contrato de exclusividade com o Twitch e, em seus streamings na plataforma, ele também promove conteúdos das marcas Axe, Amazon Studios e da Electronic Arts.

Um nome que não é exatamente novo, mas que também aparece na lista é o de Dominique “Sonicfox” McLean. A revista destaca Sonicfox não apenas como uma das poucas personalidades preocupadas com a inclusão no mundo dos e-sports – já que ela é abertamente de sexualidade queer e não-binária. Sonicfox também faz parte da comunidade furry e é um dos poucos a trazer questões de gênero para o mundo dos e-sports. Ele também é reconhecido por sua maestria em diversos jogos de luta, onde ganhou cinco torneios na EVO (em 2014 com Injustice: Gods Among Us, em 2015 e 2016 com Mortal Kombat X, em 2018 com Dragon Ball Fighter Z e em 2019 com Mortal Kombat 11) em que foi considerado como o melhor jogador de e-sports do mundo em 2018 pela The Game Awards.

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista
Dominique “Sonicfox” McLean, recendo o prêmio de melhor jogador do mundo na The Game Awards de 2018 (Imagem: The Game Awards)

O grupo de jogadores profissionais da lista é completado por Rumay “Hafu” Wang, que possui quase 800 mil seguidores no Twitch e ganhou diversos eventos da Major League Gaming nos jogos League of Legends e Hearthstone, sendo atualmente a jogadora número um do G2 Esports Teamfight Tactics.

A lista completa de indicados na categoria de videogames é a seguinte:

  • Kezia Adamo, programadora no StudioMDHR
  • Nick ‘Nick Eh 30’ Amyoony, jogador profissional e streamer
  • Brent Batas and Julian Gari, co-fundadores da AutoAttack Games
  • Joseph Bentley, diretor da Beyond Entertainment
  • Justin Britch, diretor de desenvolvimento da Obsidian Entertainment
  • Maxx Burman, co-fundador da KitBash3d
  • Bonnie Burton, produtor na Bungie
  • Rebecca Ford, Diretor de Comunidade na Digital Extremes
  • Lauren Gaba Flanagan, co-fundador da Theorycraft
  • Kyle ‘Bugha’ Giersdorf, jogador profissional da equipe Sentinels
  • Renee Gittins, diretor executivo da IGDA
  • Richard Henkel, chefe de produto da Riot Games
  • Kyle Holdwick, engenheiro senior de gameplay na thatgamecompany
  • Mary Kenney, roteirista na Insomniac Games
  • Nicole LaPointe Jameson, CEO da Evil Geniuses
  • Keizac Lee, parceiro na Kowloon Nights
  • Dominique ‘Sonicfox’ McLean, jogador profissional para a equipe Echo Fox
  • Shayna Moon, produtora associada no Santa Monica Studio
  • Spencer Perreault, engenheiro de software chefe da Microsoft
  • Stephen Ellis and David Steinberg, co-fundadores da Pipeline
  • Jasmine Roberts, tecnóloga de criação no Google Creative Lab
  • Sam Rosenthal, Fundador da The Game Band
  • Ketaki Shriram, co-fundador da Krikey
  • Justin Stander, fundador da Askiisoft
  • James Sun, gerente de produto senior no Twitch
  • Hanako Tjia, agente na UTA
  • Rumay ‘Hafu’ Wang, jogadora profissional para a equipe G2 Esports
  • Soleil ‘Ewok’ Wheeler, jogadora profissional para a equipe FaZe Clan
  • Carrie Witt, diretora de arte na Owlchemy Labs
  • Zhenghua Yang, fundador da Serenity Forge

Apesar de apenas cinco nomes ligados aos e-sports fazerem parte da lista deste ano, com a popularização cada vez maior de torneios e de streamers, acredita-se que esse número só tende a aumentar nos próximos anos.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech