Mundo Tech

Google tem reunião para decidir mudanças na diretrizes LGBTQ+ da empresa

Google tem reunião para decidir mudanças na diretrizes LGBTQ+ da empresa - 1

Nesta semana (11) o CEO da Google, Sundar Pichai, se reuniu com algumas importantes lideranças da empresa e representantes de grupos de funcionários LGBTQ+ da companhia para discutir o que foi chamado de “padrão das crises” da Google e a relação da empresa com a diversidade.

Na segunda-feira (10), durante a Code Conference, a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, havia pedido desculpas à comunidade LGBTQ+ em função da decisão da empresa em não punir o youtuber Steven Crowder, depois de uma denúncia de que ele estava perseguindo e ofendendo um repórter da Vox Media por conta da sua orientação sexual. A equipe do YouTube que revisou o caso havia decidido que, apesar de ofensivo, as ofensas proferidas por Crowder não feriam as políticas de uso do YouTube. Crowder se referia ao repórter da Vox usando palavras como “bichinha” e “veado”, e as políticas do YouTube dizem que qualquer discriminação por conta da orientação sexual de alguém é passível de punição na plataforma. Apesar das desculpas, Wojicicki manteve a decisão de sua equipe, e o YouTube não dará qualquer punição para Crowder.

E é esse tipo de comportamento que os funcionários da Google estão cansados, e eis o motivo da reunião: ao mesmo tempo que a empresa se diz “pró-diversidade”, ela nunca toma nenhuma decisão que realmente proteja a comunidade LGBTQ+ de ataques daqueles que a querem ver sumir do mapa. Por isso, uma dos pedidos dos grupos que representam os funcionários fora do eixo heteronormativo da empresa é que eles tenham algum representante nas reuniões de tomada de decisão da companhia, para evitar que a empresa continue tomando decisões que ofendem a comunidade LGBTQ+.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Após a reunião, Pichai enviou para todos os funcionários da empresa um e-mail em que novamente pedia desculpa pelo incidente — principalmente por ele ter ocorrido durante o Mês do Orgulho LGBTQ, um momento onde deveríamos é estar celebrando as conquistas desta comunidade. Apesar disso, a carta — cujo texto completo foi divulgado pelo site The Verge — não entra em detalhes sobre como o Google pretende mudar sua relação para com a comunidade, e revela apenas que a reunião de terça-feira foi o primeiro passo para a companhia entender melhor as necessidades do grupo.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste