Mundo Tech

O que Harry Potter tem a ver com astronomia?

O que Harry Potter tem a ver com astronomia? - 1

Harry Potter é uma saga tão ampla que, mesmo anos após seu término (se não contar a franquia de Animais Fantásticos, é claro), ainda rende muito pano para manga e muitas curiosidades para trazer à tona, como o fato de que a autora, J.K. Rowling, pensou com muito cuidado ao batizar cada personagem de seu universo. Para nomear os personagens, ela se inspirou em uma variedade de fontes, incluindo pessoas que ela conhecia, literatura e mitologia — e já que estamos falando de mitologia e astronomia, que tal ver nossa matéria sobre a origem mitológica dos nomes dos planetas e das luas que consistem nosso Sistema Solar?

No entanto, você sabia que, em meio à gama de personagens — entre bruxos, trouxas e outras criaturas —, a astronomia marca uma boa presença em Harry Potter? Acontece que vários nomes foram inspirados em constelações e outros astros. Alguns desses personagens estão presentes apenas nos livros e não apareceram nas adaptações cinematográficas, mas outros conquistaram o coração do público tanto pelos livros quanto pelos filmes. E como o Canaltech não poderia perder a oportunidade de juntar duas coisas que amamos, decidimos trazer para você a sutil relação entre a saga do bruxinho e a astronomia.

Luas de Júpiter

Para começar, além de Estudo dos Trouxas (em que analisam aspectos materiais ou mesmo sociais daqueles que não são bruxos), astronomia é a matéria existente na grade curricular de Hogwarts que mais se aproxima da nossa realidade, já que os alunos da Escola de Magia e Bruxaria estudam… bem… magia e bruxaria. Em meio a feitiços, transfiguração, poções e até História da Magia, é no mínimo interessante saber que eles têm toda uma preocupação de estudar os astros. Há até uma parte do quinto livro, Harry Potter e a Ordem da Fênix, em que os alunos precisam fazer um trabalho sobre as luas de Júpiter.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Graças à diligência de Hermione em corrigir os trabalhos de Ron e de Harry, dá até para aprender um pouco sobre os satélites naturais do majestoso planeta. Em julho do ano passado, foram descobertas 12 novas luas ao redor de Júpiter, que agora tem 79 satélites naturais. No entanto, na ocasião, os alunos (que na época estavam no quinto ano) focaram nas luas de Galileu. Na ocasião, Ron escreveu em seu trabalho que Calisto era a maior lua de Júpiter (quando na verdade é Ganimedes, conforme Hermione o corrigiu). Além disso, Harry chegou a dizer que Europa era coberta de ratos, e Hermione precisou dizer que ela era coberta de gelo, na verdade.

Sirius Black

O que Harry Potter tem a ver com astronomia? - 2

A relação entre Harry Potter e astronomia é muito forte quando se trata dos nomes designados a alguns personagens. Na Mui Antiga e Nobre Casa dos Black, uma das mais importantes da saga, já que conta com personagens amados e odiados, a maior parte dos membros tem nomes originados de algum astro. Começando pelo óbvio: Sirius Black, o padrinho de Harry. Ele foi mencionado nos primeiros livros, mas sua aparição para valer foi no terceiro volume da saga, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Esse nome veio de Sirius, a principal estrela da constelação do Cão Maior, e a estrela mais brilhante do céu noturno visível a olho nu, que pode ser vista a partir de qualquer ponto na Terra, sendo que, no Hemisfério Norte, faz parte do Hexágono do Inverno. Ela é muitas vezes apelidada de Estrela do Cão, e foi aproveitando essa curiosidade que JK Rowling fez com que Sirius fosse um animago, ou seja, um bruxo que tem o dom de se transformar em um animal específico. No caso, Sirius se transforma em um cão, carinhosamente apelidado de Almofadinhas (Padfoot, em inglês), por causa de suas patinhas. Ele faz parte dos Marotos, que consiste em um grupo de amigos, ao lado de Aluado (Remo Lupin), Rabicho (Pedro Pettigrew) e Pontas (Tiago Potter, o pai de Harry), que estudaram juntos em Hogwarts, na casa de Grifinória.

Bellatrix Lestrange

O que Harry Potter tem a ver com astronomia? - 3

Antes de se casar com Rodolphus Lestrange e usar esse sobrenome, Bellatrix (ou Belatriz, nas versões brasileiras dos livros) também ostentava o sobrenome Black. Tal como os outro membros da família, ela também tem seu nome importado direto da astronomia. Também conhecida pela designação de Bayer Gamma Orionis, Bellatrix é a terceira estrela mais brilhante da constelação de Orion e a 27ª mais brilhante do céu noturno. Além disso, Bellatrix é uma das quatro estrelas de navegação em Orion que são usadas para navegação astronômica. Ela forma o ombro direito do caçador Órion.

Já na saga protagonizada por Harry Potter, Bellatrix é uma das Comensais da Morte, ou seja, seguidora de Lord Voldemort (ou devemos dizer Você-Sabe-Quem?). Em várias ocasiões dos livros e dos filmes, Bellatrix deixa à mostra sua crueldade. Ela participou de várias batalhas da Segunda Guerra Bruxa, fazendo com que fosse um objetivo específico matar quaisquer parentes que fossem membros da Ordem da Fênix. Com isso, a bruxa assassinou com sucesso seu primo Sirius Black e sobrinha Ninfadora Tonks. A personagem também assassinou o ex-elfo doméstico da família Malfoy, Dobby (que se tornou um firme aliado de Harry Potter e conquistou os corações dos fãs).

Andrômeda Tonks

Andrômeda é uma das 48 constelações relacionadas pelo astrônomo greco-romano do século II Ptolemeu, e permanece como uma das 88 constelações modernas. Localizada a norte do equador celeste, foi nomeada a partir de Andrômeda, filha de Cassiopeia, da mitologia grega. Andrômeda é mais visível durante as noites de outono do hemisfério norte, juntamente com várias outras constelações nomeadas como personagens do mito de Perseu. No entanto, no universo de Harry Potter, Andrômeda é uma bruxa pertencente inicialmente à família Black, mas que depois se casa com Ted Tonks (e é deserdada por se casar com um bruxo Nascido-trouxa). É a mãe da carismática metamorfomaga Ninfadora Tonks. Andrômeda é irmã de Bellatrix e Narcisa (sim, a mãe do Draco) e, por ter se aliado à Ordem da Fênix, é considerada como uma traidora por suas irmãs, que se juntam às trevas.

Outros membros da Casa dos Black

Além de Sirius, Bellatrix e Andrômeda, vários outros membros do clã Black também têm o nome relacionado com a astronomia. É o caso, por exemplo, de Cygnus, o pai de Bellatrix, Narcisa e Andrômeda. Já na astronomia, o Cygnus (Cyg), o Cisne, é uma constelação do hemisfério celestial norte. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Cygni. A constelação possui 50 estrelas visíveis sem necessitar de equipamentos e numerosas estrelas duplas ou múltiplas e as mais brilhantes são Deneb e Albireo. O irmão de Cygnus, Alphard Black, possui seu nome inspirado na estrela Alpha Hydrae, a mais brilhante da constelação de Hydra.

A saga de Harry Potter também conta com Régulo Arturo Black, famoso RAB, irmão mais novo de Sirius. Régulo era sempre usado como exemplo a ser seguido, enquanto Sirius ia contra os ideais que pregava a família Black. Na saga, é principalmente conhecido por ter substituído o medalhão de Sonserina (uma das horcruxes de Voldemort) por um falso. Seu nome vem de Régulo, a estrela mais brilhante da constelação de Leão, e Arturo, a estrela mais brilhante da constelação Boötes, o Boieiro, do hemisfério celestial norte.

Orion Black, pai de Sirius e Régulo, também tem seu nome retirado da astronomia: Órion é uma das 88 constelações modernas, fica no equador celeste e, por este motivo, é visível em praticamente todas as regiões habitadas da Terra. A época mais favorável para sua observação se dá principalmente nas noites de verão no hemisfério sul, em dezembro e janeiro.

Outros integrantes da árvore genealógica dos Black – mas que não têm presença muito marcante na saga – são Pólux Black, avô de Sirius, Régulo, Bellatrix, Andrômeda, Narcisa (pois Pólux é a estrela mais brilhante da constelação de Gêmeos e a 17ª mais brilhante de todo o céu) e Cassiopeia Black, tia-avó desse pessoal todo (sendo que, na Astronomia, Cassiopeia é uma constelação do hemisfério celestial norte).

Mérope Gaunt Riddle

Caso você só tenha visto os filmes, pode não entender a importância de Mérope para a trama de Harry Potter. No entanto, quem leu os livros já sabe: ela é ninguém menos que a própria mãe de Tom Riddle, que posteriormente vem a atender pelo nome de Lord Voldemort (ou Você-Sabe-Quem, mesmo). Ela é descendente direta de Salazar Sonserina, e usou meios antiéticos para seduzir o rapaz por quem estava apaixonada, como poções do amor. Justamente por causa dessa poção do amor, é que Tom – o fruto dessa relação – nasceu incapaz de sentir amor por qualquer ser vivo. Sendo assim, Mérope inconscientemente é a grande vilã da saga.

Na astronomia, as Plêiades são um grupo de estrelas na constelação do Touro. As nebulosas das Plêiades são azuis, que indicam que são nebulosas de reflexão, refletindo a luz das estrelas brilhantes próximas. A mais brilhante dessas nebulosas, que envolve Mérope, foi descoberta em 19 de outubro de 1859 por Wilhelm Tempel.

Draco Malfoy

O que Harry Potter tem a ver com astronomia? - 4

Draco, o Dragão, é uma constelação do hemisfério celestial norte próxima do polo celeste norte. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Draconis. As constelações vizinhas, segundo as delineações contemporâneas, são a Ursa Menor, a Girafa, a Ursa Maior, o Boeiro, o Hércules, a Lira, o Cisne e o Cefeu. Na saga de Harry Potter, é um dos maiores antagonistas: filho de Lúcio e Narcisa Malfoy, Draco é um bruxo que ingressa a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts no mesmo ano que o Harry, mas, diferente dele, acaba entrando na casa Sonserina. Como você já deve bem saber, Draco é bem arrogante, e passou os vários anos em Hogwarts implicando com Harry e seus amigos.

Uma curiosidade é que, anos depois dos acontecimentos que envolvem a saga, Draco se casa e tem um filho chamado Scorpius Malfoy. E assim como ele, o filho também tem o nome vindo da astronomia, já que Scorpius, o Escorpião, é uma constelação. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Scorpii. A constelação de Escorpião é facilmente visualizada nas noites de inverno no hemisfério sul, e se encontra na maior parte do tempo ofuscada pelo Sol nos meses de verão no hemisfério sul.

Luna Lovegood

O que Harry Potter tem a ver com astronomia? - 5

Talvez um dos nome mais óbvios inspirados pela astronomia seja o de Luna Lovegood, já que, em espanhol, Luna quer dizer Lua. Curiosamente, a personagem em si é descrita como uma garota bem pálida, com cabelos loiros quase platinados, então a gente pode perceber que a inspiração em nosso satélite natural chegou até a reverberar nas próprias características físicas da personagem, não se limitando apenas ao nome. Bom, na saga, Luna é uma das alunas da casa Corvinal e amiga de Harry e todo o pessoal que a gente gosta. Ela se destaca por sua excentricidade, como a fé em criaturas que ninguém mais vê, mas em muitos momentos acaba se mostrando verdadeiramente sensata.

Sobre o astro em questão, já estamos cansados de ouvir falar, certo? A Lua é o único satélite natural da Terra e o quinto maior do Sistema Solar. Entre os satélites cuja densidade é conhecida, a Lua é o segundo mais denso, atrás de Io, uma das quatro grandes luas de Júpiter — conhecidas como Luas de Galileu.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste