Mundo Tech

Novo tratamento pode eliminar câncer em pacientes terminais

Novo tratamento pode eliminar câncer em pacientes terminais - 1

Pesquisadores do Institute of Cancer Research (ICR) e do Royal Marsden NHS Foundation Trust desenvolveram um novo tratamento que pode eliminar tumores em pacientes terminais com câncer de cabeça e pescoço. O estudo foi realizado com um coquetel de medicamentos de imunoterapia, que usou o sistema imunológico dos pacientes para matar suas próprias células cancerígenas.

Os cientistas descobriram que a combinação de dois medicamentos chamados nivolumabe e ipilimumabe levou a uma redução no tamanho dos tumores em pacientes terminais com câncer de cabeça e pescoço. Em alguns, o câncer desapareceu completamente. Com isso, os especialistas acreditam que a combinação desses medicamentos de imunoterapia pode se provar uma nova arma eficaz contra várias formas de câncer avançado.

Novo tratamento pode eliminar câncer em pacientes terminais - 2
(Imagem: Colin Behrens/Pixabay)

Além de aumentar as chances de sobrevida desses pacientes em longo prazo, o tratamento de imunoterapia também desencadeou menos efeitos colaterais. O estudo envolveu quase 1 mil pacientes com câncer de cabeça e pescoço. “As imunoterapias são tratamentos mais suaves e inteligentes [que as químio ou radioterapias] e podem trazer benefícios significativos aos pacientes”, afirmam os pesquisadores.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Os resultados do estudo mostram que a combinação de imunoterapia obteve uma taxa de sucesso particularmente alta em um grupo de pacientes cujos tumores tinham altos níveis de um marcador imunológico chamado PD-L1. As taxas de sobrevivência naqueles com altos níveis de PD-L1 que receberam o coquetel de imunoterapia foram as mais altas já relatadas em um ensaio do tipo. Os pesquisadores esperam que as descobertas mostrem mais benefícios da terapia em pacientes com cânceres de cabeça e pescoço avançados.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech