Mundo Tech Tecnologia

Telescópio Hubble descobre sem querer uma nova galáxia em nossa vizinhança

Uma equipe de astrônomos estava usando o telescópio espacial Hubble para estudar algumas estrelas muito antigas e com brilho fraco no aglomerado globular NGC 6752, quando se depararam com uma descoberta histórica: uma galáxia-anã até então desconhecida, que está a 30 milhões de anos-luz de distância. Tudo já está devidamente documentado e publicado na revista Monthly Notices da Royal Astronomical Society: Letters.

O objetivo da pesquisa era estudar estrelas anãs brancas dentro desse aglomerado, usando-as para medir a idade do aglomerado globular, mas na parte externa da área observada uma coleção compacta de estrelas surgiu e, após uma cuidadosa análise de seus brilhos e temperaturas, a equipe chegou a conclusão de que tais estrelas, na verdade, não faziam parte do aglomerado (que faz parte da Via Láctea), mas sim estavam a milhões de anos-luz de distância e faziam parte de uma galáxia ainda desconhecida.

A galáxia foi apelidada de Bedin 1, tendo formato alongado e tamanho modesto, medindo cerca de 3 mil anos-luz em sua maior extensão. Além de pequena, a galáxia tem brilho incrivelmente fraco e, por isso, foi classificada como sendo do tipo anã esferoidal. Esse tipo de galáxia tem em comum características como pequeno tamanho, baixa luminosidade, falta de poeira e estrelas muito antigas. Há cerca de 36 galáxias do tipo no chamado Grupo Local, das quais 22 são galáxias-satélite da Via Láctea.

Analisando as propriedades de suas estrelas, os cientistas calcularam que a Bedin 1 tem 13 bilhões de anos de idade, sendo quase tão antiga quanto o próprio universo e, por causa de seu isolamento (o que significa pouca ou praticamente nenhuma interação com outras galáxias), pode-se dizer que ela uma espécie de fóssil vivo do universo primitivo.

A imagem mostra a concentração de estrelas capturada pelo Hubble e, no destaque circulado na parte inferior da foto, estão as estrelas que, na verdade, fazem parte da galáxia Bedin 1. (Foto: NASA, ESA and L. Bedin)

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste