Brasil

GloboNews mostra indevidamente dados de voluntário da Coronavac que morreu

A GloboNews não tomou, nesta terça-feira (10), o cuidado necessário ao abordar o caso do homem, voluntário dos testes com a Coronavac, que morreu. O canal de notícias expôs informações de cunho pessoal, revelando ao telespectador endereço, RG e nome.

O episódio aconteceu durante o Estúdio I, vespertino da emissora carioca, comandado por Maria Beltrão, de acordo com o colunista do UOL Maurício Stycer, o erro, ao mostrar o Boletim de Ocorrência, foi constatado rapidamente e corrigido pela direção do jornal.

Ainda na ocasião, a bancada do programa comentava a suspensão das pesquisas com a Coronavac, por conta da morte do homem de 33 anos, em 29 de outubro, por suicídio. Naquele momento, a Anvisa havia proibido a continuidade dos trabalhos.

Maria Beltrão, no Estúdio I, da GloboNews
Maria Beltrão, no Estúdio I, da GloboNews (Reprdução)

Vale lembrar que o desenvolvimento da vacina ocorre em parceria do Instituto Butatan, em São Paulo, com o laboratório chinês Sinovac. O presidente da República, Jair Bolsonaro, indicou mais uma vez que não aprova esse trabalho e até comemorou nas redes sociais a paralisação dos trabalhos – ainda que a morte do voluntário não tenha ligação direta com o medicamento.

Fonte: Observatório da Televisão