Notícias

O Cravo e a Rosa de volta? Globo, ninguém aguenta mais reprise de novela!

“Foi a gente que pediu sim!”, tuitou o Gshow, página de entretenimento da Globo, ao anunciar a reapresentação de O Cravo e a Rosa a partir de 6 de dezembro, após o Jornal Hoje. Sim, só você pediu. Nas redes sociais, a recepção foi péssima. O público detestou a “novidade”, e esta coluna concorda com a opinião popular. Ninguém aguenta mais reprise de novela!

Em tempo: nada contra O Cravo e a Rosa, uma das melhores novelas de Walcyr Carrasco e “curinga” da Globo nas tardes. A novela das seis, exibida originalmente em 2000, levantou a audiência do Vale a Pena Ver de Novo em seus dois repetecos, em 2003 e 2013 (a última antes da troca de horários com a Sessão da Tarde). Até hoje, a novela protagonizada por Catarina (Adriana Esteves) e Petruchio (Eduardo Moscovis) atrai público para a emissora.

O problema está em mais um horário de reprises na programação. Sob o pretexto de comemorar os 70 anos das novelas, a Globo recorre a um arrasa-quarteirão para salvar sua faixa mais problemática, a das 15h, em que virou freguês da Record. Na última terça-feira (23), perdeu para A Hora da Venenosa, quadro de fofocas do Balanço Geral, por 9,4 a 9,2 na Grande São Paulo. Nos últimos anos, a emissora trouxe Maju Coutinho e César Tralli para o Jornal Hoje, que foi esticado, e até apelou ao BBB para evitar novas derrotas, sem sucesso.

Apelar para novelas cria um novo problema: as reprises do Viva, um dos líderes de audiência na TV por assinatura. Indiretamente, a Globo concorrerá com ela própria. O Cravo e a Rosa foi exibida pelo canal pago em 2019, sendo substituída por O Clone, que hoje ocupa o Vale a Pena Ver de Novo. A tradicional sessão vespertina, aliás, reapresentará somente tramas das nove, enquanto a nova faixa será ocupada por folhetins das seis e das sete.

Desde março de 2020, quando as emissoras suspenderam as produções inéditas em razão da pandemia de coronavírus, novelas foram reprisadas até o retorno seguro das gravações. Só a Globo exibiu onze, somando os horários das 18h, 19h e 21h, além de Malhação, que sairá do ar após a atual reapresentação. O Cravo e a Rosa deverá empurrar a Sessão da Tarde e o Vale a Pena Ver de Novo até a faixa das seis, atualmente com Nos Tempos do Imperador.

Além do canal Viva e das onze reprises na pandemia, a Globo ainda anunciou a entrada de 50 títulos no catálogo do Globoplay. A cada duas semanas, uma novela era divulgada à exaustão em programas da emissora, como o Encontro, que recebeu atores e contou histórias das tramas incluídas na plataforma de streaming. Foi na edição desta quarta que Fátima Bernardes comunicou a volta de O Cravo e a Rosa.

A sensação que fica é a de que o público não se livrará tão cedo das reprises de novelas mesmo com a retomada dos trabalhos e a estreia de produções inéditas. Resta saber se a trama de Walcyr Carrasco irá operar mais um milagre na audiência da Globo às tardes ou se a emissora realmente saturou a nostalgia com tanto passado na programação.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Fonte: Observatório da Televisão