Cultura

Enfocando a vida de pessoas soropositivas, palestra-performance abre Mostra de Dramaturgia no CCSP

Diagnosticado com HIV em 2014, o ator e dramaturgo Ronaldo Serruya elaborou durante anos a relação que conseguiria manter com o diagnóstico até decidir escrever e encenar A Doença do Outro, palestra-performance que levou o artista a abocanhar o primeiro lugar na 7ª edição do Edital de Dramaturgia Pequenos Formatos do Centro Cultural São Paulo.

Agora, sob a direção de Fabiano Dadao de Freitas, Serruya entra em cena no Espaço Cênico Ademar Guerra, no CCSP, para abrir a Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos a partir de 30 de novembro, terça-feira.

Na obra, o ator e autor traça diálogos para discutir corpos que convivem com o HIV, os estigmas que os cercam e as conquistas sociais colecionadas ao longo de 40 anos desde que o vírus se tornou uma pandemia ao redor do mundo, na década de 1980.

O espetáculo abre a programação da Mostra, que conta ainda com as apresentações dos espetáculos Trava Bruta, de Leonarda Glück (de 7 a 12 de dezembro, de terça-feira a sábado às 21h e domingo às 20h) e Betta Splendens, de Tatiana Ribeiro (de 14 a 19 de dezembro, de terça-feira a sábado às 21h e domingo às 20h).

A Doença do Outro cumpre temporada até o dia 05 de dezembro, com sessões de terça-feira a domingo, às 21h (terça a sábado) e às 20h (domingo). Os ingressos custam de R$ 15,00 (meia) a R$ 30,00 (inteira).

A partir de 31 de janeiro, a obra cumpre nova temporada, desta vez no universo digital, quando permanece em cartaz até o dia 06 de fevereiro no canal oficial do Centro Cultural São Paulo no YouTube. As transmissões serão gratuitas.

Fonte: Observatório do Teatro