Cultura

Maria Fernanda Cândido adia para 2020 peça em que dá vida a Norma Bengell

Atriz, cineasta e cantora ícone do Cinema Novo, Norma Bengell se tornou um dos principais nomes das telonas brasileiras após protagonizar o primeiro nu do cinema brasileiro nas filmagens de Os Cafajestes, de Ruy Guerra. O episódio a marcou por toda a vida e influenciou nas decisões do mercado a respeito da figura da atriz, morta em 2013 aos 78 anos.

Um dos episódios que marcaram a carreira da atriz foi o problema com a Polícia Federal envolvendo a prestação de contas do filme O Guarani, baseado no livro homônimo de José de Alencar. Bengell foi acusada de lavagem de dinheiro e teve a prestação de contas rejeitada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Desde então, a atriz e cineasta não conseguiu realizar nenhum dos filmes que roteirizou, nem tampouco comercializar a venda de direitos e produção em DVD daqueles que já havia filmado.

Estes entre outros episódios deverão ser tratados em Norma, peça de Aimar Labaki sobre a vida e a carreira da atriz, inicialmente previsto para chegar aos palcos em 2019, mas que deve entrar em cena mesmo apenas em meados de 2020. Maria Fernanda Cândido assumirá o papel da diva do Cinema Novo na obra que contará com a direção do próprio Labaki.

Este será o retorno de Cândido aos palcos seis anos após a encenação de A Toca do Coelho, drama do norte americano vencedor do Prêmio Pulitzer David Lindsay-Abaire, dirigido por Dan Stulbach, quando dividia a cena com Reynaldo Gianecchini.

Maria Fernanda Cândido adia para 2020 peça em que dá vida a Norma Bengell - 1
Norma Bengell

Fonte: Observatório do Teatro