20°C 14°C

São Paulo, SP

19°C 12°C

Curitiba, PR

26°C 19°C

Belo Horizonte, MG

26°C 17°C

Rio de Janeiro, RJ

20°C 14°C

Porto Alegre, RS

29°C 20°C

Salvador, BA

Sábado, 11 de Agosto de 2012 - 16h15

Superação em Londres: meninas do vôlei ganham ouro

Brasil 247
Ivan Alvarado/Reuters

247 - Brasil dá show em quadra e se torna o terceiro país do mundo a ser bicampeão olímpico de maneira consecutiva. Seleção feminina de vôlei marca 3 a 1 contra os Estados Unidos, de virada, e fica com a medalha de ouro. O que faltou no futebol -- garra e determinaçáo --, sobrou para nossas garotas. Parabéns!

Abaixo, ponto a ponto, como foi o jogo histórico:

247 - Depois de um primeiro set fraco, perdido para a equipe dos Estados Unidos por 25 a 11, seleção feminina de vôlei empata o jogo  no segundo set, com placar de 25 a 17. O ataque com Fabiana, que marcou seis pontos, e Fernanda Garay funcionou bem, levando a equipe a manter-se sempre à frente no placar. Agora, com tudo igual, o sonho do ouro continua valendo. Quem tiver mais técnica -- e garra -- vai levar.

Jaqueline, com uma cortada de trás da linha dos três metros, marcou seu décimo ponto na partida e levou o Brasil a 2 a 1 com os EUA no terceiro set. Partida chega a 5 a 2 para o Brasil de forma sensacional, com Fabiana salvando bola quase no chão da quadra brasileira. Na sequência, com bloqueio, seleção marcou seu ponto. Com Sheila na diagonal, em seguida, Brasil abriu 6 a 2. EUA pedem tempo. Momento é favaorável ao Brasil

"Está bonito de ver, nosso saque está entrando bem", afirma a comentarista Ana Moser. Mas Tahisa sacou na rede e EUA marcaram seu terceiro ponto. O quarto ponto veio com bloqueio duplo da equipe americana sobre Fernanda Garay. É jogo duro! Brasil fez, até esta altura, três pontos de bloqueio, e EUA seis. Com bola fora de Garay, EUA encostam no placar, fazendo o quinto ponto. Pedido de tempo deu resultado.

Sheila bate para explorar o bloqueio e marca o sétimo ponto para o Brasil. 7 a 5. O oitavo ponto veio de bloqueio no meio da rede. Novo pedido de tempo dos EUA. Zé Roberto Guimarães aproveita para falar em separado com Fernanda Garay. Paulo Cobo, auxiliar, orienta equipe. Voltam as equipes ao jogo.

Sheila saca bem, mas bloqueio brasileiro leva a bola para fora da quadra adversária. Na sequência, levando o Brasil a 9 a 6, Fabiana corta para o seu décimo ponto na partida. Hocker, dos EUA, marca em seguida, colocando a partida em 9 a 7. Saque de central americana vai para fora, e Brasil marca seu décimo ponto no segundo set. Brasil, agora, faz 11 a 8.

Jaqueline, em cortada diagonal, faz seu décimo primeiro ponto na partida, e leva Brasil a fazer 12 a 8. Mas EUA estão mais que vivos na partida, marcando o nono ponto. Na sequência, porém, um saque para fora faz o Brasil marcar 13.

Com Fabi defendendo bola cortada quase no chão, bola chega em Fernanda Garay, que corta para marcar 14 para o Brasil. EUA fazem o seu décimo.

Em Pequim, 2008, a final olímpica também foi entre Brasil e Estados Unidos. Como vai ser agora?

Brasil bloqueando muito. Jaqueline, que vai se transformando na melhor jogadora da partida, pega outra vez perto do chão, e Fabi mata o ponto: 15 a 11. Com largadinha, adversárias marcam seu décimo segundo ponto. E depois 13. Técnico Zé Roberto não pede tempo. Fernanda Garay, que havia sido orientada em separado, enche a mão na diagonal e leva Brasil a respirar com 16 a 13. No tempo, Zé Roberto fala com Fabiana: "Tome a decisão. Quando a levantora não estiver, é você que tem de se apresentar", disse ele.

Rodhe, dos EUA, corta para fora, e Brasil chega a 17. Daniele Scott, de 39 anos e cinco olimpíadas, marca 14 para os EUA. Marcada, Sheila não passa pelo bloqueio e placar fica 17 a 15. Fernanda Garay, outro destaque, após levatamento de manchete de Dani Lins, corta bola excelente, superando bloqueio duplo e fazendo 18 a 15. Jaqueline, para marcar o décimo nono ponto, corta duas vezes para fazer equipe avançar. Um rali atrás do outro. EUA pedem tempo, gastando o último tempo técnico.

Jaqueline, em bola sensacional longe da rede, marca seu décimo segundo ponto na partida e leva Brasil ao vigésimo. Mas EUA marcam em seguida e fazem 17. E em seguida 18, com bloqueio brasileiro empurrando a bola para fora.

Jaqueline, outra vez com barulho que pode ser ouvido em todo o estádio, faz 21 para o Brasil. Marido dela, Murilo, faz parte da equipe brasileira masculina que no domingo disputa o ouro com os EUA. Partida está 21 a 19.

Sheila, na diagonal que era ocupada por Fernanda Garay, leva Brasil a fazer 22 pontos. Rali espetacular leva Brasil a marcar seu vigésimo terceiro ponto, com Sheila, depois de várias trocas de bola. Em seguida, saque perdido do Brasil coloca jogo em 23 a 20. Sufoco e emoção!

Brasil faz 24 e tem set point, graças a saque fora de Miashiro, que havia entrado so para sacar.

Sheila resolve o set. Brasil vira em 24 a 20. Com 2 a 1, Brasil está a um set do bicampeonato olímpico.

QUARTO SET - "O nome da partida é Jaqueline, com força e inteligência. EUA estão sentindo a pressão", diz Ana Moser.

Lidsay Berg começa sacando. Um a zero Brasil com cortada da central Thaisa, uma das maiores bloqueadoras do campeonato. EUA empatam. Thaisa mostra seu jogo de novo e marca o segundo ponto da seleção nacional. EUA dão mole, mas Brasil não fecha ponto e jogo fica empatado.

Bloqueio duplo brasileira funciona e Brasil faz 3 a 2. Sheila defende e Dani Lins, de segunda, leva Brasil ao quarto ponto. Americanas se debateram sem conseguir pegar a largadinha. Na sequência, Fabiana, capitão do time, sobe muito no bloqueio e equipe verde-amarela alcança 5a 2. Técnico americano pede tempo. EUA, a seguir, marcam seu terceiro ponto. Saque de Hocker, porém, vai na rede, e Brasil vai a 6. Tudo dando certo, mas ponteira Sheila é bloqueada e escore fica 6 a 4. Rodhe faz grande saque e EUA encostam. 6 a 5.

Depois de linda defesa de Jaqueline e levatanda de Fabiana, Fernanda Garay repõe a vantagem brasileira para 7 a 5. Fabiana, no entanto, saca direto na rede e temos, assim, 7 a 6.

Sempre ela, Jaqueline sobe para abrir 8 a 6 para o Brasil. Técnico neozalandês pede novo tempo técnico. Não está fácil para elas -- e não para as nossas!

Dani Lins vai para o saque. Na continuação, Sheila bate uma bola que locutor da Record define como "bolaça": 9 a 6 para o Brasil. Com largadinha, EUA marcam o seu sétimo ponto. Na ponta, explorando o bloqueio, Sheila marca o décimo ponto do Brasil. Fabi manda para fora e EUA se acercam, com o oitavo ponto. Logenton saca para fora, 11 a 8. Uau!

Rodhe corta bem, na diagonal, e leva jogo para 11 a 9. Mas, logo após, ela erra e Brasil avança a 12 pontos. Dani Lins saca, bola quase cai, mas, na volta, Fabiana, em seu décimo terceiro ponto, deixa o Brasil com 13. No banco, Zé Roberto sorri e chama mais torcida para o Brasil.

Jaqueline salva bola de maneira impressionante. No terceiro toque, Fernanda Garay bate muito forte em diagonal: 16 a 10.

Em bloqueio duplo para fora, Brasil perde ponto e partida vai a 16 a 11. É o set de ouro para o Brasil. Sheila vem do centro e marca décimo sétimo ponto. Natália vai para o saque. EUA erram na cortada e Brasil marca 18 a 11. Boa vantagem para o Brasil. Dani Lins, de segunda, faz 19 a 11. Estamos a seis pontos do bi olímpico. Natália saca para fora, 19 a 12. Thaisa corta para fora, ponto dos EUA. "Tem de baixar a adrenalina", diz Ana Moser. Mas EUA fazem boa sequência e marcam o décimo quarto ponto. Brasil tem 19. Foi na sorte o vigésimo ponto do Brasil. Largadinha não foi defendida.

Cortada americana errada, na antena, faz Brasil marcar 21 a 14. Estamos chegando lá. Com Jaqueline, Brasil marca 22 a 14.

Fernanda Garay, em cortada espetacular, fecha o jogo com uma super cortada. Brasil é bicampeão olímpico no vôlei feminino.

publicidade:

publicidade:

publicidade: